Servos da Paz – Marcos 10.35-52
12/09/2017 - 12h25 em Pastoral

Servos da Paz – Marcos 10.35-52

Então, se aproximaram dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo-lhe: Mestre, queremos que nos concedas o que te vamos pedir. E ele lhes perguntou: Que quereis que vos faça? Responderam-lhe: Permite-nos que, na tua glória, nos assentemos um à tua direita e o outro à tua esquerda (Marcos 10.35-37). Creio que não podemos julgar Tiago e João, nem mesmo sua mãe que desejava esta excelente posição para os filhos (Mateus 20.20-21). Pois quem não gostaria de ocupar uma posição privilegiada ao lado de Jesus por toda a eternidade? Mas uma grande questão que fica na dúvida são as reais intenções no coração dos filhos de Zebedeu. Afinal este pedido pode ser um daqueles casos em que se deseja uma coisa aparentemente boa, mas que está muito longe do que o Senhor Jesus quer como prioridade para seus discípulos, principalmente pela possibilidade de vir acompanhada de uma certa vaidade.

Tanto Tiago quanto João são bons homens, discípulos consagrados e grandes líderes da Igreja. Tiago foi o primeiro apóstolo a ser assassinado por amor ao Senhor Jesus, enquanto João foi o último apóstolo a morrer. E pelo que se conta na história da Igreja teria sido o único a morrer já idoso por causas naturais. Porém por toda a sua vida sofreu perseguições, privações e torturas por amor a Cristo, literalmente os dois beberam o cálice de Cristo e receberam o batismo dos sofrimentos do Mestre: Mas Jesus lhes disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu bebo ou receber o batismo com que eu sou batizado? Disseram-lhe: Podemos. Tornou-lhes Jesus: Bebereis o cálice que eu bebo e recebereis o batismo com que eu sou batizado; quanto, porém, ao assentar-se à minha direita ou à minha esquerda, não me compete concedê-lo; porque é para aqueles a quem está preparado (Marcos 10.38-40). Aqueles que queriam estar a direita e a esquerda do Mestre foram justamente os que ocuparam as posições de primeiro e último na ordem da morte dos apóstolos do Senhor Jesus. Porém, esta história mostra como naquele momento eles estavam desfocados da prioridade de Cristo pra eles. Por isso, que todo cristão necessita de constantemente meditar na palavra de Deus, a fim de ser corrigido e aperfeiçoado pelo Espírito Santo; nos curando de nossas vaidades e de nosso egoísmo: Ouvindo isto, indignaram-se os dez contra Tiago e João. Mas Jesus, chamando-os para junto de si, disse-lhes: Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade (Marcos 10.41-42). Na versão da Bíblia A Mensagem está assim: Os outros dez ouviram a conversa e ficaram indignados com Tiago e João. Então, Jesus os reuniu para consertar a situação. Ele disse: “Vocês já devem ter notado como o poder sobe à cabeça dos governantes deste mundo que logo se tornam tiranos (Marcos 10.41-42). E logo após o pedido vaidoso deles, a história faz questão de mostrar o simples pedido de Bartimeu: Mestre, que eu torne a ver (Marcos 10.51). Pois enquanto muitos cristãos, que são extremamente abençoados, estão gastando seu tempo apenas querendo que seu nome seja grande; ao mesmo tempo há muitas pessoas querendo de Jesus apenas as coisas mais básicas da vida, como ver, por exemplo. E no meio dos pedidos de Tiago e João e o pedido de Bartimeu está o ensino de Jesus sobre o que é ser grande e o primeiro no Reino de Deus.

O ensino de Jesus sobre ser grande e ser o primeiro é facilmente entendido por nós na teoria, porém continua sendo uma grande dificuldade de prática, pois há uma grande tendência em nos tornarmos tiranos como os governantes deste mundo, que deixam o poder subir a cabeça. Por isso, é essencial cada Cristão entender plenamente a profundidade da expressão: Mas entre vós não é assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos. Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. Acredito que a aplicação deste ensino diminuiria muito a decepção que muitos crentes tem com a Igreja, ao mesmo tempo que aumentaria a decepção que temos com nós mesmos. Principalmente, diante da triste realidade de uma quantidade enorme de crentes que estão esperando serem servidos por seus irmãos, ao invés de colocarem a mão no arado e partirem para a boa obra.

Os discípulos queriam ficar a direita e a esquerda de Jesus, queriam ficar perto de Jesus. Na outra história Jesus chama Bartimeu para perto dele: E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele cada vez gritava mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Parou Jesus e disse: Chamai-o. Chamaram, então, o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama (Marcos 10.48-49). De certa forma acredito que Jesus está mostrando que para estar próximo dele ou ao seu lado, é preciso se aproximar de pessoas como Bartimeu. Pois Jesus sempre está próximo dos humildes e carentes deste mundo.

Hoje vivemos numa cultura que induz as pessoas a serem completamente centradas em si mesmo. “Você tem o direito de ser feliz”; “Você tem que pensar em si mesmo”; “Não pode viver a sua vida em função dos outros”; etc. Tudo isso é com base na teoria falha de que as suas realizações profissionais e pessoais te satisfarão. Porém, os relacionamentos são essenciais pra nossa felicidade. Se você alcançar o topo de todos os seus sonhos descartando pessoas, pisando nelas no caminho ou apenas as usando; qualquer pessoa ao chegar lá no alto sentirá um tremendo vazio e uma grande frustração pela falta de pessoas que se alegrarão de verdade com suas conquistas. De certa forma, Tiago e João queriam como a maioria das pessoas alcançar o topo da vida. Porém, Jesus ensina que no Reino de Deus quem está no topo é justamente quem está junto às pessoas na parte debaixo da vida. Não é quem manda, mas quem serve. No plano soberano de Deus, Bartimeu não apareceu na história por acaso, pelo contrário, as coisas tinham que ser deste jeito para que o Senhor mostrasse o que realmente importa pra ele.

No plano de Deus aquele que é “superior”, uso essa palavra por faltar outra na mente, deve trabalhar em favor dos “inferiores”. O ser humano cumpre isso sem perceber, por exemplo, se refletirmos no nosso papel com a natureza e os animais. O ser humano é a principal criação de Deus, alguns naturalistas podem ficar revoltados com essa afirmação,  mas esta é a realidade. Porém, a superioridade humana deve servir a ordem de Deus, de que toda a criação foi colocada debaixo dos nossos cuidados. Por exemplo, a nossa relação com os animais de estimação,  como os cachorros. Somos nós que servimos a eles, dando banho, alimentação e todo tipo de cuidado. Estamos acima deles, mas somos nós que o servimos e cuidamos deles. Isso é a vontade de Deus e o homem cumpre mesmo sem perceber. Assim como o próprio Deus, que é superior a nós, porém trabalha em nosso favor: Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera (Isaías 64.4).

Podemos, às vezes, diante das circunstâncias da vida nos sentirmos frustrados por não podermos fazer nada pelas pessoas. Como estar junto ao cego e não termos a capacidade de Jesus em dizer “eu quero que você veja”. Então nós nos esquivamos com essa desculpa. Porém, Jesus fez o que ele tinha poder pra fazer, da mesma forma nós devemos fazer o que podemos fazer, e Jesus operará ou não o milagre de acordo com sua vontade soberana. Então, nós podemos dar a nossa oração, nossa ajuda em suas necessidades, nossa companhia, nossa amizade, nosso tempo para uma boa conversa, ou seja, nossa verdadeira amizade como servos de Cristo e das pessoas. Não podemos deixar de fazer o que está na nossa capacidade.

Concluo esta reflexão sobre a necessidade de sermos Semeadores da Paz em todos os lugares e a todas as pessoas. Pois quando saímos da disputa do poder pelo poder, que gerou a intriga entre os discípulos (Marcos 10.41) e nos colocamos na direção de Jesus auxiliando pessoas como o cego Bartimeu (Marcos 10.47-52); desta forma, nós semearemos a paz duas vezes. Ao evitar a disputa de poder entre irmãos e ao levarmos o consolo e a doce presença de Deus ao ser humano em suas necessidades. E assim, de fato, somos a Igreja de Cristo.

Marcio Costa Daflon

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!

Igreja Presbiteriana do Brasil em Miguel Couto “Amando a Deus e às pessoas”  

 Estrada do Iguaçu, 113 – Miguel Couto – Nova Iguaçu – RJ – CEP.: 26.145-420   (21) 2769-0947  e-mail: igpresbiterianademiguelcouto@gmail.com 

                                                                                                     Quarta-feira: 19h30 - Culto de adoração e palavra

Domingo: 09h - Escola Bíblica / 18h – Culto de adoração e palavra 

Congregações: Tinguá – Nova América – Grama

www.radios.com.br